I João 5:20 – Quem é O Único Deus Verdadeiro?Imprimir
Questões Bíblicas – Perguntas e Respostas (Parte X)
PERGUNTA:
De acordo com as Escrituras Sagradas quem é o único e verdadeiro Deus?

RESPOSTA:

As traduções bíblicas como um todo, vertem I João 5:20 de modo a identificar o Senhor Jesus Cristo como sendo “o verdadeiro Deus e a vida eterna”. No entanto, essa interpretação entra em conflito com o próprio conteúdo do mesmo versículo, bem como com o restante das Escrituras Sagradas. O texto de I João 5:20 encontra-se traduzido da seguinte forma:

“Nós sabemos que veio o Filho de Deus e nos deu a inteligência para conhecermos o Verdadeiro. E nós estamos no Verdadeiro, no Seu Filho Jesus Cristo. Este é o Deus verdadeiro e a vida eterna.” I João 5:20. (Bíblia de Jerusalém)

Há algo fundamental a ser considerado. Não há dúvidas de que as Escrituras Sagradas apresentam tanto Deus Pai, como Jesus Cristo como “verdadeiros”. No entanto, só o Pai é mencionado como “Deus verdadeiro”, isto porquê, há vários textos que são claros em afirmar que Deus é um e único (ver João 5:44; Romanos 16:27; I Coríntios 8:6; I Timóteo 1:17 e Judas 25) e não dois ou três como muitos equivocadamente acreditam.

Dois textos apresentam o Pai de Jesus Cristo como “Deus verdadeiro”:

“Porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos para convosco, e como dos ídolos vos convertestes a Deus, para servir o Deus vivo e verdadeiro, e esperar dos céus o Seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura.” I Tessalonicenses 1:9 e 10.

“E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” João 17:3.

O único texto indicando Jesus Cristo como “verdadeiro” encontra-se registrado em Apocalipse 3:7 - “Ao anjo da igreja em Filadélfia, escreve: Assim diz o Santo, o Verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi, o que abre e ninguém mais fecha, e fechando, ninguém mais abre.” Indiscutivelmente esta passagem bíblica refere-se a Jesus Cristo, porém, de maneira alguma o Filho de Deus está sendo considerado como “Deus verdadeiro”.

De acordo com os versos acima, o título de “Deus verdadeiro” é unicamente aplicado ao Pai e não ao Seu Filho Jesus. O interessante das passagens apresentadas acima é a de João 17:3, pois nela o próprio Senhor Jesus refere-se ao Seu Pai como sendo o “único Deus verdadeiro”, excluindo a possibilidade de ele, Jesus, ser um outro Deus verdadeiro.

Há uma outra questão que precisa ser analisada cuidadosamente. O termo “verdadeiro” que aparece no texto de I João 5:20 refere-se ao Pai ou ao Filho? Para se tirar esta dúvida, basta trocar o termo “verdadeiro” por aquele personagem que se julga efetivamente o termo se referir:

EXEMPLO 1 - “Nós sabemos que veio o Filho de Deus e nos deu a inteligência para conhecermos o FILHO DE DEUS. E nós estamos no FILHO DE DEUS, no Seu Filho Jesus Cristo. Este é o Deus verdadeiro e a vida eterna.”

Ao se fazer este simples exercício, constata-se que o primeiro exemplo é completamente absurdo. Poderia Jesus Cristo ser Filho do Filho de Deus? Não há, pois, como apoiar esta opção.

EXEMPLO 2 - “Nós sabemos que veio o Filho de Deus e nos deu a inteligência para conhecermos o PAI. E nós estamos no PAI, no Seu Filho Jesus Cristo. Este é o Deus verdadeiro e a vida eterna.”

Com relação ao segundo exemplo, o texto está informando corretamente que quem está no Filho é que chega ao Pai.

Para se chegar a uma conclusão correta basta entender o que o verso como um todo quer dizer. O texto tem como objetivo mostrar que pelo Filho ou no Filho abre-se o entendimento para conhecer o “verdadeiro Deus e a vida eterna”, então, indubitavelmente o Filho é o instrumento para esse fim Esta conclusão está em conformidade com os ensinos da Palavra de Deus (ver Mateus 11:27; Lucas 10:22; João 1:18).

Faz-se necessário fazer uma releitura de I João 5:20, principalmente ao que se refere a parte inicial do texto, que diz o seguinte: “Nós sabemos que veio o Filho de Deus e nos deu inteligência para conhecermos o verdadeiro...” Não é razoável concluir que o “verdadeiro” acerca do qual o Filho nos veio dar a conhecer seja ele mesmo, já que o próprio Jesus disse não testificar de si (ver João 5:31). Mais uma vez chega-se a conclusão que Jesus é o instrumento para se chegar ao conhecimento de Deus.

Dessa elucidação decorre o entendimento da parte seguinte do verso: “E nós estamos no verdadeiro...” Na mesma epístola de João lemos: “Qualquer que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus está nele e ele em Deus. E nós conhecemos, ...e quem permanece em amor, permanece em Deus e Deus nele.” I João 4:15 e 16.

Nota-se que mais uma vez é feita a distinção de Jesus como Filho e de estarmos em Deus por causa da nossa aceitação que diz respeito ao Filho. Então, até esse ponto temos a compreensão natural de que o “verdadeiro” acerca de quem Jesus nos deu inteligência para O conhecermos não é ele próprio, mas Aquele de quem ele é Filho.

O texto de I João 5:20 segue dizendo: “...no Seu Filho Jesus Cristo.” Entende-se que o pronome “seu” está se referindo a alguém. Quem? É natural concluir que existe um personagem no verso, além do Filho, que é a causa do verso e que através do Filho estamos nEle. Jesus, o Filho de Deus, não pode ser Filho dele mesmo. O contexto de I João 5 traz importantes informações sobre Deus e Seu Filho Jesus (ver I João 5:9-11).

Ao concluir, o texto sob análise diz: “Este é o Deus verdadeiro e a vida eterna.” Esta frase levanta muitos questionamentos, pois faz pensar que João esteja se referindo a Jesus, visto que em português deve-se usar “este” para o que está perto e “esse” para o que está longe. O termo “este” utilizado em I João 5:20 foi traduzido do original grego “houtos”.

É necessário chamar a atenção para outros textos bíblicos em que aparece o termo grego “houtos”:

1. Em Atos 7:18 e 19 o termo grego “houtos” foi traduzido como “esse”:

“Até que se levantou ali outro rei, que não tinha conhecido José. Usando ESSE (houtos) de astúcia contra a nossa raça, maltratou a nossos pais, ao ponto de fazê-los enjeitar seus filhos, para que não vivessem.”

Há um outro texto muito significativo, visto que o objetivo é buscar exemplos nos próprios escritos de João:

2. “Porque já muitos enganadores saíram pelo mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. ESTE (houtos) é o enganador e o anticristo.” II João 7.

Neste caso específico, o pronome demonstrativo “este” não se refere ao que vem imediatamente antes, uma vez que Jesus não é o enganador e o anticristo. É evidente que “este” refere-se aos que negam a Jesus. Eles são chamados coletivamente de “o enganador e o anticristo”.

3. Em I João 2:22 o termo grego “houtos” novamente é traduzido como “esse”:

“Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? ESSE (houtos) mesmo é o anticristo, esse que nega o Pai e o Filho.”

Caso o termo grego “houtos” fosse traduzido como “este”, como foi no caso de I João 5:20, entender-se-ia que o nosso Salvador Jesus Cristo sería chamado pelo apóstolo João de “mentiroso”.

4. Uma outra situação semelhante encontra-se registrada em Atos 4:10 e 11:

“Seja manifesto a todos vós a quem vós crucificastes, mas a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, é por seu nome e por nenhum outro que este homem se apresenta curado diante de vós. É Ele (houtos) a pedra rejeitada por vós, os contrutores, mas que se tornou a pedra angular.”

Neste texto o termo grego “houtos” foi traduzido por “Ele”, referindo-se não a quem estava imediatamente mais próximo do relato, mas a Jesus que foi citado no início do verso anterior, pois doutra sorte o paralítico é quem seria “ a pedra que foi rejeitada” e não Jesus.

Entende-se, pois, que o apóstolo João tinha conhecimento do real sentido da expressão “verdadeiro Deus”, pois essa expressão aparece em muitas passagens bíblicas, entre as quais destacamos:

“Ora, por muito tempo Israel esteve sem o verdadeiro Deus, sem sacerdote que o ensinasse e sem lei.” II Crônicas 15:3.

“Mas o Senhor é o verdadeiro Deus; Ele é o Deus vivo e Rei eterno; ...” Jeremias 10:10.

“Porque eles mesmos anunciam de nós qual a entrada que tivemos entre vós, e como vos convertestes dos ídolos a Deus, para servirdes ao Deus vivo e verdadeiro.” I Tessalonicenses 1:9.

É certo, pois, que em todos os seus escritos, o apóstolo João jamais considerou Jesus como “Deus verdadeiro”, pois ele sabia que esta exclusividade pertence unicamente à pessoa do Pai, a quem Jesus orou dizendo:

“E a vida eterna é esta; que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que Tu enviaste.” João 17:3.



E-Folheto (Folheto eletrônico)
Entregue um folheto deste estudo bíblico pela internet através do e-mail.
É fácil, basta informar o e-mail no campo abaixo e clicar em enviar.
Remetente:
Nome*:
E-mail:
Destinátario:
Nome:
E-mail*:
(*)Preenchimento obrigatório

Fale conosco:
Nome:
Cidade/UF:
E-mail: (Seu e-mail não será divulgado)
Pergunta ou Comentário:
Deseja publicar sua pergunta ou comentário?
 
E este evangelho do reino será pregado no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim. (Mat 24:14)
contato@verdadeemfoco.com.br