O estabelecimento do trono do MessiasImprimir
O Futuro Reino do Messias (Parte IV)
a) Algumas religiões preconizam para os salvos, um futuro utópico nos Céus por mil anos ou por toda a eternidade e uma destruição de todo o ser vivente deste planeta. Seria isto verdade?

Contrariamente ao ensino da Palavra de Deus, muitos sinceros cristãos crêem que em Sua segunda vinda, Cristo conduzirá Seus seguidores para o Céu, para os lugares de morada que Ele lhes preparou na Nova Jerusalém.

Em que implicaria tudo isto se tais predições fossem verdadeiras? Deus em Sua Palavra apresenta as promessas feitas a Abraão e aos seus descendentes. Estas promessas envolvem um território, um trono, um Rei e um Reino. Estas promessas deverão desenrolar-se na Terra e não no Céu. Queremos aqui destacar primeiramente as promessas feitas a Judá, por seu pai Jacó:

“Judá, a ti te louvarão os teus irmãos; a tua mão será sobre o pescoço de teus inimigos; os filhos de teu pai a ti se inclinarão. Judá é um leãozinho, da presa subiste, filho meu. Encurva-se e deita-se como um leão, e como um leão velho; quem o despertará? O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos.” Gênesis 49:8-10.

O cetro ou o reino, que não se arredaria de Judá, passou posteriormente pelas mãos de Davi, da descendência de Judá, com quem Deus assumiu um firme e inquebrantável pacto de assentar sobre o seu trono, Jesus, o Messias:

“Fiz um pacto com o Meu escolhido; jurei ao Meu servo Davi. Estabelecerei para sempre a tua descendência, e firmarei o teu trono por todas as gerações.” Salmos 89:3-4.

“Não violarei o Meu pacto, nem alterarei o que saiu dos Meus lábios; não mentirei a Davi. A sua descendência subsistirá para sempre, e o seu trono será como o sol diante de Mim; será estabelecido para sempre como a lua, e ficará firme enquanto o céu durar.” Salmos 89:34-37.

“O Senhor jurou a Davi com verdade, e não se desviará dela: Do fruto das tuas entranhas porei sobre o teu trono.” Salmos 132:11.

“Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo, e, sendo rei, reinará e procederá sabiamente, executando o juízo e a justiça na terra. Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este é o nome de que será chamado: O Senhor Justiça Nossa. Portanto, eis que vêm dias, diz o Senhor, em que nunca mais dirão: Vive o Senhor, que tirou os filhos de Israel da terra do Egito; mas: Vive o Senhor, que tirou e que trouxe a linhagem da casa de Israel da terra do norte, e de todas as terras para onde os tinha arrojado; e eles habitarão na sua terra.” Jeremias 23:5-8.

A profecia apontava para Jesus. Ele também era procedente da tribo de Judá:

“E o mesmo Jesus começava a ser de quase trinta anos, sendo (como se cuidava) filho de José, e José de Elí... Naassom de Aminadabe, Aminadabe de Admim, Admim de Arni, Arni de Esrom, Esrom de Farés, Farés de JUDÁ, JUDÁ de Jacó, Jacó de Isaque, Isaque de Abraão,...” Lucas 3:23-34.

Jesus, por direito, ocupará o trono de Davi:

“E tu profano e ímpio príncipe de Israel, cujo dia virá no tempo da extrema maldade. Assim diz o Senhor Jeová: Tira o diadema e levanta a coroa; esta não será a mesma: exalta ao humilde, e humilha ao soberbo. Ao revés, ao revés, ao revés a porei, e ela não será mais até que venha Aquele a quem pertence de direito, e a Ele a darei.” Ezequiel 21:25-27.

“Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que cumprirei a palavra boa que falei à casa de Israel e à casa de Judá. Naqueles dias e naquele tempo farei que brote a Davi um Renovo de justiça, e ele fará juízo e justiça na Terra.” Jeremias 33:14-15.

“Então brotará um rebento do toco de Jessé, das suas raízes um renovo frutificará. ...Naquele dia a raiz de Jessé será posta por estandarte dos povos, à qual recorrerão as nações; gloriosas lhe serão as suas moradas.” Isaías 11:1 e 10.

“E eis que em teu ventre conceberás e darás a luz a um filho e por-lhe-ás o nome de Jesus. Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu pai. E reinará eternamente na casa de Jacó, e seu reino não terá fim.” Lucas 1:31-33.

Varões irmãos, seja-me lícito dizer-vos livremente acerca do patriarca Davi, que ele morreu e foi sepultado, e entre nós está até hoje a sua sepultura. Sendo pois ele profeta e sabendo que Deus lho havia prometido com juramento que do fruto de seus lombos, segundo a carne, levantaria a Cristo, para O assentar sobre o seu trono.” Atos 2:29-30.

O profeta João faz referência a Cristo, como o Leão da tribo de Judá:

“E disse-me um dentre os anciãos: não chores; eis que o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, venceu para abrir o livro e romper os seus sete selos.” Apocalipse 5:5.

O trono de Davi será ocupado pelo Messias aqui na Terra e não no Céu, isto porque, Davi não subiu aos céus: “Porque Davi não subiu aos céus...” Atos 2:34.

Desde o cativeiro babilônico (606 AC), o trono está vago, à espera do legítimo e definitivo Rei.

A Bíblia diz que o Messias não tem Seu trono no céu, mas está assentado no trono de Seu Pai:

“Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no Meu trono; assim como Eu venci, e Me assentei com Meu Pai no Seu trono.” Apocalipse 3:21.

b) Quando e aonde o Messias irá Se assentar em Seu próprio trono?

“E quando o Filho do homem vier em Sua glória, e todos os santos anjos com Ele, então Se assentará no trono da Sua glória.” Mateus 25:31.

“E naquele dia estarão os Seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, para o oriente e para o ocidente e haverá um vale muito grande; e metade do monte se apartará para o norte e a outra metade dele para o sul. ...E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Senhor e um será o Seu nome.” Zacarias 14:4 e 9.

O que dizem estas passagens bíblicas? Não precisamos ser teólogos para compreender o significado delas. A conclusão é simples:

O Senhor Jesus vai conceder ao vencedor que se assente no Seu trono. Todos sabem que os vencedores farão parte do Reino do Messias somente depois da Sua segunda vinda. Portanto, desde Sua ascensão até hoje, Jesus está assentado no trono de Seu Pai (Deus). Jesus não tem Seu trono no Céu.

O Messias Se assentará em Seu trono quando vier a esta Terra, acompanhado pelos anjos. A partir de então Se assentará no trono de Davi como Rei.

O profeta Zacarias diz que Jesus será Rei sobre toda a Terra, pois os Seus pés estarão sobre o monte das Oliveiras. Ora, o monte das Oliveiras localiza-se na Terra. Por esta razão, o Seu reinado não será no Céu como muitos ensinam. Cristo será Rei durante o período provisório de mil anos. Após o milênio, entregará o reino ao Seu Pai: “Então virá o fim quando Ele entregar o reino a Deus, o Pai, quando houver destruído todo domínio e toda autoridade e todo poder. Pois é necessário que Ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo de Seus pés. Ora, o último inimigo a ser destruído é a morte.” I Cor. 15:24-26. É evidente que os inimigos e a morte serão definitivamente destruídos após o milênio. Portanto, as passagens do profeta Zacarias (Zacarias 14:4 e 9), confirmam que o reinado de Cristo se desenrolará na Terra e não no Céu.

Com relação ao reinado do Messias na Terra, o profeta Ezequiel escreveu o seguinte:

“E deles farei uma nação na terra, nos montes de Israel, e um rei será rei de todos eles; e nunca mais serão duas nações; nunca mais para o futuro se dividirão em dois reinos. E Meu servo Davi reinará sobre eles, e todos eles terão um pastor; e andarão nos Meus juízos, e guardarão os Meus estatutos e os observarão.” Ezequiel 37:22,24.

Obs.: As duas nações a serem unidas durante o reinado do Messias são: Judá e Israel. Também convém esclarecer que o servo Davi aqui mencionado refere-se a JESUS.

Jesus ascendeu aos céus para receber o Reino de Seu Pai (o Ancião de dias):

“Eu estava olhando nas minhas visões noturnas, e eis que vinha com as nuvens do céu um como Filho do homem; e dirigiu-Se ao Ancião de dias, e foi apresentado diante dEle. E foi-Lhe dado domínio, e glória, e um reino, para que todos os povos, nações e línguas O servissem; o Seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o Seu reino tal, que não será destruído.” Daniel 7:13-14.

Certa ocasião o Senhor Jesus deixou muito claro esta questão ao proferir uma parábola:

“...Certo homem nobre partiu para uma terra longínqua, a fim de tomar posse de um reino e depois voltar. ...E sucedeu que, ao voltar ele, depois de ter tomado posse do reino, ...” Lucas 19:12 e 15.

O Filho de Deus (Jesus) receberá de Seu Pai (Deus) um reino pouco antes de Sua segunda vinda a esta Terra. Este reino será eterno, governado inicialmente por Jesus durante mil anos e depois eternamente por Deus. Jesus será empossado nesse reino quando tocar a sétima trombeta, isto é, momentos antes de Sua volta a esta Terra:

“E tocou o sétimo anjo a sua trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: O reino do mundo passou a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e Ele reinará pelos séculos dos séculos.” Apocalipse 11:15.

Portanto, quando o Senhor Jesus voltar, Ele não voltará para o Céu após o encontro com o Seu povo. Ele ocupará o Seu próprio trono aqui na Terra. Lembre-se: O trono que Ele ocupa atualmente é o do Pai.

O profeta Daniel relata que o rei de Babilônia, Nabucodonozor, viu em seu sonho uma estátua sendo atingida nos seus pés por uma pedra. Essa pedra simboliza a segunda vinda de Jesus e o estabelecimento de Seu reino. É interessante notar que a pedra não retornou para o céu, mas fez-se um grande monte (Reino) e encheu toda a terra. Assim o Reino do Messias durante o milênio, será estabelecido e se desenrolará aqui mesmo:

“Estava vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem mão, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou. Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o cobre, a prata e o ouro, os quais se fizeram como a pragana das eiras no estio, e o vento os levou, e não se achou lugar algum para eles; mas a pedra que feriu a estátua, se fez um grande monte, e encheu toda a terra. ...Mas, nos dias destes reis, o Deus do céu levantará um reino que não será jamais destruído; e este reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá todos estes reinos, e será estabelecido para sempre. Da maneira como viste que do monte foi cortada uma pedra, sem mãos, e ela esmiuçou o ferro, o barro, o cobre, a prata e o ouro, o Deus grande fez saber ao rei o que há de ser depois disto; e certo é o sonho, e fiel a sua interpretação.” Daniel 2:34-35 e 44-45.

O profeta Isaías também confirma que o reino do Messias será na Terra:

“Não se fará mal nem dano algum em todo o Meu santo monte; porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar. Naquele dia a raiz de Jessé será posta por estandarte dos povos, à qual recorrerão as nações; gloriosas lhe serão as suas moradas.” Isaías 11:9-10.

O Reino que os santos possuirão na vinda de Jesus, e no qual serão feitos reis e sacerdotes, é na Terra, debaixo do Céu:

“Eu estava olhando nas minhas visões noturnas, e eis que vinha com as nuvens do céu um como Filho do homem; e dirigiu-se ao Ancião de dias, e foi apresentado diante dEle. E foi-Lhe dado domínio, e glória, e um reino, para que todos os povos, nações e línguas O servissem; o Seu domínio é um domínio eterno, que não passará e o Seu reino tal, que não será destruído. Mas os santos do Altíssimo receberão o reino, e possuirão o reino para todo o sempre... E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno e todos os domínios o servirão e lhe obedecerão.” Daniel 7:13-14, 18 e 27.

Sobre o mesmo assunto o apóstolo João escreveu:

“E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra.” Apocalipse 5:10.

“Bem aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo; e reinarão com Ele durante os mil anos.” Apocalipse 20:6.

Não haverá traslado do povo de Deus para o Céu, pois aqui é o Reino de Jesus. O Reino virá até nós. Foi isto que Jesus nos ensinou na oração do Pai nosso:

“Portanto, orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o Teu nome; venha o Teu reino...” Mateus 6:9-10.

Este reino será tomado dos homens e entregue à Cristo na Sua vinda. A pedra, ao ferir a estátua, esmiuçará os reinos atuais e estabelecer-se-á na Terra. É o quinto e derradeiro reino, depois dos quatro vistos por Daniel. Após a batalha do Armagedom, os reinos deste mundo serão entregues ao Messias. O profeta João diz o seguinte sobre este assunto:

“E tocou o sétimo anjo a sua trombeta, e houve nos céus grandes vozes, que diziam: Os reinos do mundo vieram a ser de nosso Senhor e do Seu Cristo, e Ele reinará para todo o sempre.” Apocalipse 11:15.

c) Até quando reinará o Messias na Terra?

O que estamos apresentando confere perfeitamente com as palavras proféticas do apóstolo Paulo, quando fala da obra de Cristo na restauração plena do planeta, na destruição de todos os inimigos e finalmente na entrega do Reino (planeta Terra totalmente renovado) ao Pai, que o receberá gloriosamente, quando da descida da cidade santa, a nova Jerusalém:

“Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força. Porque convém que reine até que haja posto todos os inimigos debaixo de seus pés. Ora o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte. Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas quando diz que todas as coisas Lhe estão sujeitas, claro está que se excetua Aquele que Lhe sujeitou todas as coisas. E quando todas as coisas Lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará Àquele que todas as coisas Lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.” I Cor. 15:24-28.

Satanás será preso, amarrado, lançado no abismo e colocado um selo sobre ele por um período de mil anos, para que não mais engane as nações. A Terra não ficará desolada e vazia como ensinam muitos sinceros cristãos.

d) O que acontecerá no fim dos mil anos com aquelas nações que não foram provadas por Satanás?

No livro do Apocalipse, capítulo 20, fala-nos da última tentativa de Satanás, após ser solto da prisão, em aliciar as nações que sobreviveram ao holocausto do Armagedom e viveram e se formaram aqui na Terra durante o milênio.

Por estar Satanás preso durante o milênio, estas nações não foram provadas pelo inimigo. Estas também teriam que ser submetidas ao teste final. Satanás buscará retomar o domínio assim que for solto da prisão. Sairá proclamando um ataque a Jerusalém terrena, cidade do grande Rei (Jesus). A Jerusalém que será sitiada por Satanás e os que ele conseguir enganar de entre as nações que se formaram durante o milênio, não é a Jerusalém Celestial, pois esta não desce enquanto a Terra não estiver totalmente renovada:

“Ora, quando se completarem os mil anos, Satanás será solto de sua prisão, e sairá a enganar as nações que estão nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, a fim de ajuntá-las para a batalha. E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade querida; mas desceu fogo do céu e os devorou.” Apocalipse 20:7-9.

e) O que acontecerá com os ímpios ao serem ressuscitados após o milênio?

Quanto aos ímpios mortos, eles serão ressuscitados após o milênio, para enfrentarem o juízo final. Muitos acreditam que os ímpios serão ressuscitados para novamente serem enganados por Satanás. Puro engano. Eles serão ressuscitados para serem condenados e lançados no lago de fogo e enxofre:

“Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se completassem....” Apocalipse 20:5.

“E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiram a terra e o céu; e não foi achado lugar para eles. E vi os mortos, grandes e pequenos, em pé diante do trono; e abriram-se uns livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida; e os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. O mar entregou os mortos que nele havia; e a morte e o hades entregaram os mortos que neles havia; e foram julgados, cada um segundo as suas obras. E a morte e o hades foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo. E todo aquele que não foi achado inscrito no livro da vida, foi lançado no lago de fogo.” Apoc. 20:11-15.

Queremos esclarecer que estes ímpios não são os mesmos que irão cercar a Jerusalém terrena. Satanás terá pouco tempo no fim do milênio para seduzir as nações que se formaram durante os mil anos sobre a Terra, pois estas ainda não haviam sido provadas e enganadas pelo inimigo de Deus. O objetivo dele será enganar estas nações, convencendo-as a sitiar e atacar a cidade de Jerusalém terrestre, conhecida como a cidade do grande Rei (Jesus).

“Eu, porém, vos digo que de maneira nenhuma jureis; nem pelo céu, porque é o trono de Deus; nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei.” Mateus 5:34-35.

Assim, após o milênio, Satanás será solto de sua prisão e sairá a enganar as nações que viveram e se formaram durante o milênio. Após sitiarem a Jerusalém terrena, fogo descerá dos céus e aniquilará todos aqueles que se deixarem enganar por Satanás. Cabe aqui esclarecer novamente: as pessoas que se deixarem seduzir pelo inimigo não são os ímpios ressuscitados. Os ímpios mortos já conheceram o mundo de pecado e ressuscitarão para o juízo final, a segunda morte. Não precisarão ser enganados novamente.

Apocalipse 20 fala-nos também do lançamento de Satanás e suas hostes no lago de fogo; da segunda ressurreição, formada pelos ímpios; da destruição destes ímpios e finalmente a destruição da morte, o último inimigo, no lago de fogo.

Feito isto, a Terra estará totalmente nova e pronta. João diz:

“E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram e o mar já não existe.” Apocalipse 21:1.

O milênio, na realidade, é um período de transição da Terra, do estado caótico em que se encontra, à condição paradisíaca do Éden que, como na criação, se caracterizará pela abundância de paz, justiça e amor. Um processo de eliminação de todos os inimigos e de tudo o que contaminou a Terra ao longo dos séculos, se desenrolará durante todo o milênio:

“Porque convém que reine até que haja posto todos os inimigos debaixo dos Seus pés. Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte.” I Coríntios 15:25-26.

Durante o reinado milenar de Cristo na Terra, as nações sobreviventes serão regidas com vara de ferro, pelo próprio Cristo e pelos salvos:

“Ao que vencer, e ao que guardar as Minhas obras até o fim, Eu lhe darei autoridade sobre as nações, e com vara de ferro as regerás, quebrando-as do modo como são quebrados os vasos de oleiro, assim como Eu recebi autoridade de Meu Pai.” Apocalipse 2:26-27.

É o cumprimento de uma profecia escrita pelo salmista:

“Eu tenho estabelecido o meu Rei sobre Sião, meu santo monte. Falarei do decreto do Senhor; Ele me disse: Tu és Meu Filho, hoje Te gerei. Pede-Me, e Eu Te darei as nações por herança, e as extremidades da terra por possessão. Tu os quebrarás com uma vara de ferro; Tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro.” Salmos 2:6-9.

f) Após o milênio, o Messias entregará o reino a quem?

No final do milênio, é o tempo de Jesus entregar ao Pai o Reino, totalmente restaurado e resgatado:

“Então virá o fim, quando Ele entregar o reino a Deus, o Pai, quando houver destruído todo domínio, e toda autoridade e todo poder.” I Cor. 15:24.

A mesma seqüência é narrada pelo Senhor Jesus na parábola do joio e do trigo. Ele disse que eliminará do Seu reino todos os Seus inimigos e somente depois os salvos resplandecerão como sol no reino de Seu Pai:

“Mandará o Filho do homem os Seus anjos e eles colherão do Seu reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniqüidade. E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes. Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de Seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.” Mateus 13:41-43.

É interessante observar que durante o milênio o Reino será do Messias. Após o milênio o Reino será de Deus – o Pai de Jesus. Por isso, referindo-se aos fatos que ocorrerão após o milênio, Jesus disse que “então os justos resplandecerão como o sol, no reino de Seu Pai.”

Quando todos os inimigos (Satanás e seus anjos, os ímpios e a morte) forem definitivamente destruídos, então descerá do Céu a Nova Jerusalém, o santuário de Deus:

“E vi um novo céu e uma nova terra... E vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que descia do Céu da parte de Deus, adereçada como uma noiva ataviada para o seu noivo.” Apocalipse 21:1-2.

O noivo é Jesus e a noiva é a nova Jerusalém celestial. Quando a nova Jerusalém descer dos céus, após o milênio, o Senhor Jesus (noivo) não estará nela. A Bíblia diz que a nova cidade descerá adereçada como uma noiva ataviada para o seu noivo. É claríssimo. Não diz que o noivo virá com ela, mas a noiva (a nova Jerusalém) virá ao encontro do noivo. Assim sendo, os salvos também não estarão na nova Jerusalém, pois eles estarão reinando com Jesus aqui no planeta Terra.

Com relação a Apocalipse 21:1-2, muitos confundem a noiva como sendo a Igreja de Deus ou o povo de Deus. A verdade é que a noiva aqui se refere à cidade santa que descerá do Céu, a nova Jerusalém:

“E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das sete últimas pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro. E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a santa cidade de Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus. ... E não entrará nela coisa alguma impura, nem o que pratica abominação ou mentira; mas somente os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.” Apocalipse 21:9-10 e 27.

É bom esclarecer que Deus (o Pai) não habitará com os salvos durante o milênio. Isto ocorrerá somente quando a nova Jerusalém (o tabernáculo de Deus) descer do Céu:

“...Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o Seu povo, e Deus mesmo estará com eles. Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.” Apocalipse 21:3-4.

Somente quando a nova cidade descer do Céu, Deus habitará com os homens e estará com eles. O verbo está no futuro (com eles habitará... estará com eles). Quem estará reinando na Terra durante o milênio é o Filho de Deus. Assim, de acordo com o profeta João, a cidade santa será apresentada ao povo de Deus somente após o milênio, quando o planeta Terra estiver totalmente purificado, livre do pecado e da morte.

Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus, finalmente, estará entre nós. A era do pecado terá seu fim somente após o milênio e tudo estará como deveria ser, desde o princípio.


E-Folheto (Folheto eletrônico)
Entregue um folheto deste estudo bíblico pela internet através do e-mail.
É fácil, basta informar o e-mail no campo abaixo e clicar em enviar.
Remetente:
Nome*:
E-mail:
Destinátario:
Nome:
E-mail*:
(*)Preenchimento obrigatório

Fale conosco:
Nome:
Cidade/UF:
E-mail: (Seu e-mail não será divulgado)
Pergunta ou Comentário:
Deseja publicar sua pergunta ou comentário?
 
E este evangelho do reino será pregado no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim. (Mat 24:14)
contato@verdadeemfoco.com.br